Notícias Corporativas

Em Pontal do Paraná Rede de Proteção Animal completa 2 anos

Viver em uma cidade onde a causa animal realmente é uma prioridade proporciona mais qualidade de vida aos bichos, seus tutores e protetores. Em Pontal do Paraná, é assim. A cidade, no litoral paranaense, tem pouco mais de 30 mil habitantes e algumas das mais belas e limpas praias do Sul do Brasil. É também uma cidade que incentiva o trabalho de várias pessoas ligadas à causa animal. A Prefeitura integra uma Rede de Proteção Animal (RPA) que apresenta resultados notáveis em políticas públicas voltadas ao mundo dos cães, gatos e pessoas que se dedicam a eles.

São cuidadores, veterinários, lojas de ração, voluntários e o setor público, unidos para proporcionar bem-estar, mais saúde e qualidade de vida. Desde 2021, já foram realizados sete mutirões para castração de mais de 3.800 cães e gatos, contribuindo para a saúde animal e evitando a procriação indiscriminada. Somente no evento mais recente, em fevereiro deste ano, foram 498 cães e gatos inscritos com antecedência, segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, promotora dos mutirões em parceria com a RPA.

Em 2022 a Prefeitura criou e passou a coordenar um Banco de Ração que já arrecadou mais de 10 toneladas para cães e gatos, doadas por lojas e parceiros da sociedade civil, e que são distribuídas mensalmente aos protetores cadastrados, reafirmando o compromisso do município com a causa animal. Os protetores parceiros resgatam animais nas ruas e levam aos mutirões. Os resultados são imediatos e também a longo prazo, diminuindo a quantidade de cães e gatos abandonados pelas ruas.

PRIORIDADES: A prioridade nos mutirões é para tutores em condição de fragilidade social e para animais resgatados da rua. Para garantir a vaga, as solicitações devem ser feitas via protocolo, de forma presencial na Prefeitura em Praia de Leste, ou via online.

A RPA existe desde fevereiro de 2022 e é formada por mais de 20 instituições. Seu objetivo é articular a sociedade civil, pessoas da causa animal e Poder Público para desenvolver medidas de proteção e controle populacional de animais. A rede também oferece castração gratuita de cães e gatos domésticos, atendimentos de urgência e emergência, realização de campanhas ao longo do ano e a doação de ração aos protetores e cuidadores de animais cadastrados, através do Banco de Rações. Desde o início do projeto já foram doadas mais de 10 toneladas de ração. Em média, o Banco de Rações entregou 450 kg para 25 protetores cadastrados, sendo 350 de ração para cães e 100 para gatos.

Flávia Caroline Deable Zacarias, diretora-geral da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, conta que as rações entregues chegam à Prefeitura em forma de doação realizada por comércios e empresas locais. “O poder municipal depende dessas doações para fazer o repasse às cuidadoras. Se em algum momento elas pararem, não teremos como continuar”, afirma.

Elizandra tem 32 animais: Uma das cuidadoras beneficiadas é Elizandra Regina Andrade Assis, motorista e protetora há 12 anos. Em mais de uma década, ela já resgatou cerca de 400 animais abandonados e/ou em situação de maus-tratos e, hoje, possui em casa 32 bichos, entre cães e gatos. “Comecei a cuidar de animais por sentir dó e amor. Até conhecer o trabalho da Prefeitura, em prol da causa, eu fazia tudo sozinha. Até que, com a Rede de Proteção, passei a ter apoio para os tratamentos de urgência, castração e com a ração. O banco de rações garante um apoio muito importante, porque é tudo muito caro e como eu tenho dezenas de animais, fica um valor muito alto”, conta. Elizandra recebe cerca de 35 kg de ração por mês, sendo 20 para cachorros e 15 para gatos. A cuidadora atua de forma independente, cuidando apenas dos animais que já tem.

Mais de 500 animais resgatados: Outra protetora é Ângela Cristina Brum, que desde 2009 resgata cachorros em situação de abandono e/ou maus-tratos em Pontal do Paraná.

Ela conta que é o amor pelos cães que a faz se empenhar e se dedicar à sua causa como protetora. Em 14 anos, já foram cerca de 500 cachorros resgatados. Atualmente, ela cuida de oito cães em sua residência, mas continua resgatando animais, cuidando, tratando enquanto necessário e, em seguida, realizando a doação para tutores. “Quando resgato um animal, me torno responsável por ele, não posso deixá-lo passar fome, então, muitas vezes, tiro do bolso para conseguir suprir as necessidades”, diz Ângela.

Trabalho conjunto: O Banco de Rações da Prefeitura de Pontal é mantido pela doação de seis empresas locais e de uma fábrica de ração de Curitiba. Um dos comércios da própria cidade é a Agropecuária AgroTop, de propriedade de Marilice Cordeiro da Silva. Ela realiza a doação desde o início do projeto e, antes, já doava para as protetoras de maneira independente. “Conhecendo a dedicação das protetoras, contribuo com o que posso; ração, às vezes medicamentos, promoções etc. Se todos os empresários ajudassem um pouco, não haveria tantos animais mortos e maltratados. Por isso, meu apelo é que cada um faça a sua parte, assim, poderíamos atender a todas as protetoras e garantir que não haja animais abandonados nas ruas”, conta.

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES, SORTEIOS E PROMOÇÕES

Invalid email address
Prometemos não enviar spam para você.  Pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos. A publicidade é uma fonte importante de financiamento de nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.