Início Notícias Corporativas Gestão de imóveis de temporada: empresas especializadas ganham espaço no mercado

Gestão de imóveis de temporada: empresas especializadas ganham espaço no mercado

Publicidade

Uma tendência de mercado que cresce cada vez mais. Segundo dados do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 25% da população adulta brasileira aderiu ao aluguel por temporada em 2020. Quem tem um imóvel investe cada vez mais em plataformas de aluguel. No Airbnb, por exemplo, o número de anúncios cresceu 99% em 1 ano.

Nesse cenário, surgem empresas especializadas na gestão dos anúncios e dos imóveis para essa modalidade de locação, como é o caso da capixaba Pire – Propriedade Imobiliária como Renda Extra. “Criamos a empresa porque muitas pessoas não conseguem fazer, por exemplo, a gestão de limpeza e manutenção à distância. E mesmo quem mora perto, muitas vezes não têm tempo ou não consegue gerir adequadamente os anúncios”, explicou o diretor da empresa, Diego Oliveira. 

“Qualquer um pode fazer um anúncio, mas nem sempre eles convertem em reservas. É necessário tirar boas fotos nos ambientes devidamente preparados e organizados, editá-las e escrever um texto assertivo para que as pessoas se interessem pelo imóvel”, completou. 

De acordo com Diego, muitas vezes as etapas de criação do anúncio são uma barreira que impede o proprietário de lucrar mais com o aluguel do imóvel. “Como é algo novo, muitas pessoas têm medo de mexer nas plataformas, medo de preencher algo errado, acham ruins as fotos que tiraram dos ambientes e aí travam e preferem ficar no modelo de aluguel tradicional, que estão habituadas, mesmo ganhando menos”, disse. 

As maiores vantagens do aluguel por temporada são: o proprietário pode bloquear as datas que ele mesmo queira usufruir do imóvel, a moradia está sempre limpa, organizada em com todos os equipamentos funcionando e, em caso de alguma emergência financeira, ele pode vender o imóvel. Tudo isso é o oposto no modelo tradicional de locação. Além disso, o proprietário não precisa se preocupar, por exemplo, com o suporte aos clientes. “E se o hóspede ligar às 22h dizendo que o ar condicionado não está funcionando? Quem vai cuidar disso? Nós contamos com uma equipe sempre à disposição para esses serviços, explicou.

O lucro também merece destaque. Segundo levantamento feito pelo Airbnb, a renda média dos anfitriões com locações na plataforma é de R$ 5 mil por mês. “O aluguel por temporada tem vários benefícios, e acaba sendo muito mais lucrativo, já que o pagamento é por diária. É como se fosse um hotel, em que você pode jogar com o preço. Conforme a demanda cresce, o preço acompanha e o lucro aumenta”, disse o diretor da Pire. 

“Em nossa primeira experiência, administramos um imóvel de 2 quartos, a 150 metros do calçadão da praia. Esse imóvel, mesmo mobiliado, dificilmente seria alugado no modelo tradicional por R$ 2.500. Com a edição do anúncio, ótimas fotos e o serviço de limpeza, fechamos o mês com quase 90% de ocupação. Seguindo os valores sugeridos, a proprietária conseguiu mais que o dobro do que ganharia no aluguel tradicional”, explicou Diego. 

Apesar de lucrativo, o diretor da Pire explicou que é preciso acompanhar os valores praticados na região. Daí a importância de contar com especialistas na gestão do anúncio. “Às vezes a pessoa pensa que a diária no imóvel dela vale R$ 500, mas o mercado não está disposto a pagar nem R$ 200. O valor tem que estar de acordo com o mercado, e nós damos esse suporte. Mostramos exatamente quanto o mercado está pagando naquela região e quanto as pessoas estão ganhando com os aluguéis”, reforçou. 

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES, SORTEIOS E PROMOÇÕES

Invalid email address
Prometemos não enviar spam para você.  Pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.
Publicidade
Artigo anteriorEscolas de SP recorrem ao EaD com nova alta de Covid-19
Próximo artigoAtraso em retomada de cirurgias bariátricas gera alerta