Notícias Corporativas

Governo do Brasil deseja a transição energética

É verdade que nos próximos anos o Brasil terá a maior fábrica de hidrogênio verde do mundo. Por conta das condições climáticas favoráveis, com sol, vento e água abundantes, o Brasil pode se tornar um dos maiores fornecedores de hidrogênio verde do mundo. Mês passado, o governo do Piauí lançou a pedra fundamental de um projeto apresentado como o maior do planeta para a produção de hidrogênio verde, que começará a operar em 2027, chegando à sua fase plena em 2035.

Todavia, a política de comércio exterior brasileira, dentro do contexto de transição energética, não se restringe a exportar hidrogênio verde. Vai além. Mira a busca de investidores e a abertura de mercado para os chamados produtos industrializados de baixo carbono.

O posicionamento ficou claro em evento na embaixada do Brasil em Berlim nesta segunda-feira (18), que reuniu representantes do setor empresarial e dos governos brasileiro e alemão.

O embaixador do Brasil na Alemanha, Roberto Jaguaribe, abriu as discussões lembrando que representava um país beneficiado por uma “sustentabilidade natural extraordinária”. Cerca de 90% da matriz de energia elétrica é limpa e praticamente 50% de matriz energética total é sustentável.

Para o economista Felipe Bernardi Capistrano Diniz, “essa é uma agenda que unifica o Brasil e isso garante mais segurança para os investidores de todo o mundo que queiram e precisam acelerar o processo de descarbonização”.

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES, SORTEIOS E PROMOÇÕES

Invalid email address
Prometemos não enviar spam para você.  Pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos. A publicidade é uma fonte importante de financiamento de nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.