Início Notícias Corporativas Mercado de residenciais sênior se mostra uma oportunidade no Brasil

Mercado de residenciais sênior se mostra uma oportunidade no Brasil

Publicidade

As projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgadas em 2019, mostram que a população brasileira está em trajetória de envelhecimento e, até 2060, o percentual de pessoas com mais de 65 anos passará dos atuais 9,2% para 25,5%.

Essas projeções reforçam uma tendência de mercado que já é realidade em todo mundo. E que vem se tornando uma grande oportunidade também no Brasil: o mercado de senior living. 

O conceito de senior living consiste em residenciais projetados para que os moradores vivam com conforto, como nos seus lares, mas com serviços e programações diárias, que incluem atividades em grupo, estrutura de lazer, serviços de hotelaria, opções gastronômicas e atenção à saúde.

Diferença entre um lar de idosos e um senior living

Abrir mão do conforto do próprio lar é um desafio para o idoso que começa a precisar de cuidados. Por isso, a proposta apresentada pelo senior living é que o idosos possa continuar vivendo bem, com a segurança de contar com uma equipe profissional quando necessário. Neste modelo o idoso não se muda para um quarto, mas para um apartamento individual. Ele continua tendo um ambiente com privacidade e conforto para receber visitas de familiares e amigos.

A localização dos empreendimentos também é um diferencial: o conceito da moradia traz uma conexão à cidade, o que promove integração, autonomia e liberdade para o morador.

Senior living e longevidade

A melhoria na qualidade de vida e nos serviços de saúde impactaram na longevidade dos brasileiros. A terceira idade ocupa mais espaço na pirâmide etária e apresenta novas demandas ao mercado.

Nos Estados Unidos, o mercado de senior living já é forte, possui uma boa performance e representa uma parte importante na carteira de muitos investidores. Este ativo atingiu o valor de U$218.6 bilhões em 2019 (conforme aponta The Business Research Company).

De olho nesse cenário, alguns players brasileiros começaram a se atentar às oportunidades para o nicho no Brasil. De acordo com o empresário Luiz Gonzaga Coelho, investidor na DOM Senior Living, em Santa Catarina, a demanda do público idoso é crescente.

“Não há dúvidas sobre o potencial deste mercado. Já vi senior livings de alto padrão em diversos lugares do mundo e não temos nada parecido aqui no estado. Faz muito sentido investir em um negócio que proporciona qualidade de vida aos idosos e que vai ser altamente valorizado em poucos anos.”

O que faz uma operadora de senior living?

A solução completa de residenciais sênior inicia na implementação, com consultoria em projetos, alinhamento de premissas, viabilidade da operação e acompanhamento da humanização. Na sequência, inicia-se o suporte operacional, que envolve a gestão de cuidados, hotelaria, serviços, locação e apoio comercial.

“Ter uma infraestrutura adequada representa apenas 30% dos problemas relacionados ao bem- estar do idoso. A experiência do dia a dia faz muita diferença na qualidade de vida. Por isso, os residenciais senior devem ir além da moradia adaptada, fazendo a gestão de todas as etapas para proporcionar autonomia, integração e bem-estar.”, frisa Renata Stringhini, diretora executiva da DOM Senior Living.

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES, SORTEIOS E PROMOÇÕES

Invalid email address
Prometemos não enviar spam para você.  Pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.
Publicidade
Artigo anteriorTransformação digital já é real para mais da metade das PMEs
Próximo artigoResidentes do Retiro dos Artistas comentam sobre a importância da bula impressa