Brasília

GDF lança programa todos aos parques

GDF lança programa para estimular brasiliense e usar mais seus parques, com atividades gratuitas de saúde, cultura, esporte e educação, para ajudar também na preservação da natureza

Embora seja contemplada com uma boa quantidade de parques e unidades de conservação, o brasiliense ainda não a utiliza como poderia e deveria. Alguns deles, como os três parques do Guará, são pouco frequentados, em parte pela falta de melhor infraestrutura ou até de segurança. Mas, para estimular a população a sair de casa, contemplar a natureza e se exercitar, o GDF está lançando o programa DF nos Parques, a ser implantado nas 86 unidades de conservação e 16 parques urbanos da capital. A ideia é levar a população para dentro dos espaços verdes como forma de aumentar a preservação e o cuidado com esses equipamentos públicos.

A iniciativa é uma ampliação do antigo programa Brasília nos Parques, que promovia, por meio de atividades gratuitas, o uso público das áreas verdes. Uma reformulação foi necessária tendo em vista o surgimento de novas secretarias envolvidas e com o objetivo de inserir as regiões administrativas nas dinâmicas de uso dos espaços. O programa foi lançado nesta quarta-feira, 7 de maio, em cerimônia no Palácio do Buriti.

O objetivo do projeto, segundo o governo, é estimular a população e, principalmente, os moradores das regiões próximas aos parques e unidades de conservação a frequentarem esses espaços, até para ajudar na preservação desses pulmões verdes.

Envolvimento de vários órgãos

A partir do decreto, será criado um comitê gestor para coordenar o programa, formado por representantes titulares e suplentes de cada órgão envolvido. A equipe terá a função de formular um plano de trabalho que estabeleça atividades a serem realizadas nos equipamentos públicos no prazo de um ano, como feiras, palestras e atividades culturais e esportivas. Cada secretaria será responsável por pensar na forma de execução da atividade que proporá, como investimento e meio de realização.

“Precisamos das pessoas que utilizam os parques e as unidades de conservação envolvidas no cuidado com esses espaços. Mas cuidar com um sentimento de pertencimento, não de exclusividade. Com o entendimento de que os parques são de todos. É com a população que vamos garantir um meio ambiente melhor no futuro”, explica o diretor-presidente do Brasília Ambiental, Rôney Nemer.

O grupo deve iniciar os trabalhos em até 30 dias após a publicação do decreto no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). E deverá formular relatórios semestrais sobre as atividades desenvolvidas, que será enviado ao governador Ibaneis Rocha e disponibilizado no site da Secretaria do Meio Ambiente e Proteção Animal (Sema).
As medidas propostas no plano de trabalho deverão seguir as normas de cada unidade de conservação, estabelecidas pelo Instituto Brasília Ambiental, com o objetivo de preservar o meio ambiente e evitar qualquer tipo de degradação.

Trilha do Parque Nacional de Brasília — Foto: Acervo ICMBio

“Buscamos promover o uso sustentável das unidades de conservação e dos parques, no sentido de aprimorar a experiência, com a oferta de serviços e atividades gratuitas relacionadas à saúde, educação, esporte, turismo, cultura e mais”, ressalta o assessor especial da Sema, Hugo Carvalho Sobrinho.
O comitê gestor será formado pelo Instituto Brasília Ambiental e pelas pastas do Meio Ambiente e Proteção Animal (Sema); de Cultura e Economia Criativa (Secec); de Educação (SEE); de Esporte e Lazer (SEL); de Turismo (Setur); de Saúde (SES); de Segurança Pública (SSP); de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri); da Mulher (SM); da Família e Juventude (SFJ); de Justiça e Cidadania (Sejus); de Atendimento à Comunidade (Seac); de Desenvolvimento Social (Sedes); de Governo (Segov); e de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedet).

Mais ações

Também nesta quarta-feira, o governador Ibaneis Rocha assinou a portaria que institui o Comitê Técnico Permanente do Sistema Distrital de Trilhas Ecológicas. O grupo vai organizar as trilhas dos parques e unidades de conservação em parceria com a sociedade civil organizada e o setor privado. A finalidade é criar os Caminhos do Planalto Central e fomentar o turismo ambiental. Uma dessas trilhas será criada no Parque Ezechias Heringer, o Parque do Guará, com percurso previsto entre 10 e 12 quilômetros.

Para a superintendente de Unidades de Conservação, Biodiversidade e Água (Sucon) do Brasília Ambiental em exercício, Carolina Lepsch, os decretos assinados nesta quarta-feira pelo GDF possuem grande interface com o trabalho realizado nas unidades de conservação geridas pelo instituto. “Simbolizam a vontade do Brasília Ambiental em trazer a comunidade para perto, incentivando o uso público desses espaços em harmonia com a natureza. Tanto as trilhas ecológicas quanto as atividades de plantio conectam as pessoas com ambiente natural, resgatando e aumentando a sensação de pertencimento”, garante.

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES, SORTEIOS E PROMOÇÕES

Invalid email address
Prometemos não enviar spam para você.  Pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Notamos que você possui um ad-blocker ativo!

Produzir um conteúdo de qualidade exige recursos. A publicidade é uma fonte importante de financiamento de nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor desabilite seu bloqueador de anúncios.