Início Casa&Decoração Cadeiras para sala de jantar: arquitetas reúnem dicas para ajudar na hora...

Cadeiras para sala de jantar: arquitetas reúnem dicas para ajudar na hora da escolha

As cadeiras coloridas, mas com o mesmo design, dão um toque de modernidade e alegria ao pequeno apartamento de 35 m² projetado pelo escritório Oliva Arquitetura | Foto: Julia Ribeiro
Publicidade

Dispensando a antiga necessidade de combinações óbvias, as cadeiras podem ser as grandes protagonistas do ambiente

Escolher as cadeiras para a sala de jantar pode ser uma tarefa desafiadora para muitas pessoas. Há uma variedade enorme de modelos, cores, texturas e materiais que podem ou não seguir o estilo da mesa, mas que devem harmonizar perfeitamente com décor concebido para o projeto. Quando falamos de ambientes integrados, o desafio aumenta, haja vista os assentos também devem condizer com a arquitetura de interiores como um todo.
“Mesas e cadeiras são as grandes protagonistas da sala de jantar. É ao redor delas que as famílias se reúnem, partilham as refeições e os acontecimentos do dia a dia. Por isso, a escolha desses móveis é tão importante. Eles fazem parte de um momento sagrado ao lado de quem amamos”explica a arquiteta Carina Dal Fabbro. 
Pensando em tornar esta escolha mais fácil, reunimos dicas e inspirações de ambientes executados pelas especialistas dos escritórios Oliva Arquitetura, Studio Tan-gram e Carina Dal Fabbro Arquitetura. Confira!

Conforto e praticidade

Escolha cadeiras que respeitem o tamanho da mesa: versões com braços podem ser uma boa ideia para quem possui espaço maior e mesa retangular | Projeto: Carina Dal Fabbro | Foto: Rafael Renzo
“Além de confortáveis, as cadeiras devem ser práticas e atender bem as necessidades dos moradores da casa”, pontua a especialista Claudia Yamadasócia do Studio Tan-gram ao lado de Monike Lafuente. Em linhas gerais, as mesas de jantar costumam ter 75 cm de altura e, por isso, a altura ideal para as cadeiras é de 50 cm. A profissional também explica que em lares com crianças é importante que o móvel não possua quinas proeminentes e que seja revestido com tecidos mais resistentes e fáceis de limpar.
Para quem não quer ousar muito em cores ou prefere ambientes com bases mais neutras, também é possível investir em cadeiras com texturas diferentes da mesa | Projeto: Studio Tan-gram | Foto: Estúdio São Paulo

Modelos diferentes

Não existe regra! Neste projeto de apê de praia, as arquitetas da Oliva Arquitetura aproveitaram as cadeiras e banquinho que já faziam parte da mobília da casa. O banco feito de concreto ajuda a otimizar o espaço e acomodar mais pessoas| Foto: Renan Soares

Apostar no uso de cadeiras diferentes pode deixar o décor muito mais atraente e moderno. Uma dica da arquiteta Bianca Atalla, do escritório Oliva Arquitetura, para deixar os elementos em harmonia é escolher um ponto em comum entre eles. “Pode ser a cor, matéria-prima, formato ou estilo. Assim, você torna o ambiente mais original e não pesa na decoração”, esclarece.
Outra alternativa para diversificar o mood do cômodo é lançar-se na mistura de bancos e cadeiras. Além de quebrar a seriedade que algumas salas de jantar possuem, as almofadas podem ser grandes aliadas para trazer ainda mais a identidade dos moradores e oferecer um conforto extra. Essa estratégia também pode ser contemplada em espaços gourmets e áreas externas, locais que em tempos não pandêmicos não estão recebendo convidados, mas que futuramente serão frequentados com ainda mais conforto.
No projeto com ares contemporâneos, a mesa de jantar é cercada por cadeiras com um acabamento considerado um clássico no Brasil: a palhinha, presente no assento e encosto | Projeto Oliva Arquitetura | Foto: Mariana Orsi

Cores

As cadeiras com assento e estrutura laranja ajudam a realçar o amadeirado claro da mesa e são destaque em meio ao cinza predominante na decoração da cozinha | Projeto: Studio Tan-gram | Foto: Estúdio São Paulo
Contemplar as cores traz um resultado divertido para a decoração. Para quem é mais comedido e prefere dosar na ousadia, a dica especial da arquiteta Carina Dal Fabbro é selecionar cores iguais ou seguir em uma paleta de tons semelhantes. Assim, é possível variar o gradiente de cor de uma cadeira para outra, formando uma espécie de degradê. A combinação também pode ser realizada com colorações complementares, como branco e preto ou vermelho e preto.
As seis posições de cadeira seguem o mesmo estilo da estrutura e o amadeirado claro da mesa redonda da sala de jantar| Projeto: Oliva Arquitetura | Foto: Júlia Ribeiro
De um lado um banco de madeira, do outro as três cadeiras pretas contrastam com o branco da mesa. Uma composição nada comum, mas muito elegante. | Projeto: Carina Dal Fabbro | Foto: Thiago Travesso
Investir no contraste das cores também é uma ótima pedida para se livrar do comum, sem perder a elegância e sofisticação do ambiente. Uma das estratégias possíveis é escolher cadeiras com estofados mais claros do que a mesa ou vice-versa“, finaliza Carina.
Sobre Carina Dal Fabbro Arquitetura 
@carinadalfabbroarq
Sobre Studio Tan-Gram
@studio.tangram
Sobre a Oliva Arquitetura 
@oliva.arquitetura

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES, SORTEIOS E PROMOÇÕES

Invalid email address
Prometemos não enviar spam para você.  Pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.
Publicidade
Artigo anteriorEspaços gourmet: saiba como cozinha e varanda podem se transformar em ambientes perfeitos para cozinhar e receber
Próximo artigoMês dos Noivos x Pandemia: ainda é possível realizar o casamento dos sonhos?
Editora chefe da Revista Matrimoni e produtora de eventos corporativos e sociais, Assessora de casamento, e formada em Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui