Início Bem Estar Casamento x coração

Casamento x coração

22

Uma pesquisa recente publicada no Heart (jornal oficial da Sociedade Britânica Cardiovascular) aponta, que o casamento é capaz reduzir o risco de problemas cardíacos.

Segundo o estudo, quem não está casado (ou seja, os solteiros, divorciados ou viúvos) tem 42% mais risco de desenvolver problemas cardiovasculares e 16% de ter doenças coronárias. O mesmo grupo também tem mais propensão a morrer de doenças da artéria coronária (42%) e AVC (55%), em comparação a quem está em um relacionamento estável.

Entre os fatores a favor do casamento apontados na pesquisa estão a maior probabilidade de reconhecimento dos sintomas de doenças –já que isso pode ser feito por um parceiro, o incentivo para a continuidade de tratamentos e o apoio para enfrentar momentos difíceis, além de maior segurança financeira e mais bem-estar.

Se avaliarmos a conclusão do levantamento, os benefícios estão mais relacionados ao companheirismo de modo geral do que ao casamento. Contudo não é o fato de estar casado ou não, mas sim a qualidade e a estabilidade do relacionamentos.

Em um cenário em que há amor, respeito, companheirismo e consideração com o parceiro, há também mais bem-estar e qualidade de vida.

As dificuldades e problemas da vida podem ser superados de forma mais leve, a ponto de não afetarem a saúde. Alguns ainda acreditam que os casados tendem a levar uma vida mais regrada, com horários de sono e convívio social mais regulares, pontos benéficos para a saúde do coração.

Mas, fica a dica para os cuidados com coração: atividade física, ter uma alimentação saudável e uma vida sem estresse. Por isso, avalie suas relações, procure viver em um ambiente de qualidade e com pessoas que te fazem bem. Cuidado com alguns fatores que causam as doenças cardiovasculares, como estresse, má alimentação, tabagismo e sedentarismo. Avalie seu histórico familiar, pois sabemos que isso também é um dos pontos preponderantes para as doenças cardíacas.

Faça o acompanhamento médico periódico e, ao menor sinal, procure um especialista. Prevenção e cuidados podem evitar uma série de problemas e complicações futuras.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui